quarta-feira, 20 de junho de 2012

GRAFIA: EMPREGO DO G, J, S, X, Z, C, Ç, I

EMPREGO DO G
1) nos vocábulos terminados por -gem, -ege: garagem, virgem, frege.
2) nos vocábulos terminados por -gio; pedágio, régio, refúgio.
3) nos verbos terminados em -ger, -gir: proteger, convergir.
4) nos derivados de palavras que apresentam g no radical: vertiginoso (vertigem), convergência (convergir).
5) nos vocábulos de origem árabe: álgebra.
6) escrevem-se com g: algema, viagem (s), gengiva, gengibre, gelo, genuíno, gíria, herege, megera, tragédia, hegemonia, tigela, ágio, agitação, etc.

EMPREGO DO J
1) nos derivados de palavras terminadas em ja: laranjeira (laranja), granjear (granja), gorjeta, gorjear (gorja = garganta), lojista (loja), lisonjeiro, lisonjear (lisonja).
2) nas formas verbais dos verbos terminados em -jar: arranjar, arranjei, arranjem, viajar, viajem, viajei, etc.
3) em palavras de origem indígena, africana ou popular: canjica, jeca, jerico, cafajeste, jibóia, pajé, jirau, jenipapo, manjericão, mojiano, Moji, etc.
4) em palavras como jeito, desajeitado, ajeitar, enjeitar, sujeitar, injeção, intrujice, jerimum, Jerônimo, laje, majestade, pegajoso, pajem, ojeriza, ultraje, etc.

EMPREGO DO S
1) nos monossílabos: ás (carta, aviador exímio), três, mês, jus, rês, trás (preposição) gás (e seus derivados).
2) nos oxítonos: aliás, anis, atrás, através, convés, freguês, país, retrós, revés (e seus derivados).
3) nos nomes próprios: Avis, Luis, Inês, Isabel, Sousa, Querós, Meneses, Luísa, Tomás, Teresa, etc.
4) nas formas e compostos dos verbos pôr e querer: puser, quis, quiser, compuser, compôs, etc.
5) nos verbos terminados em -isar, derivados de palavras cujo radical termina em -s: avisar, analisar, alisar, pesquisar, catalisar, paralisar, etc.
6) nos adjetivos pátrios: português, inglês, japonês (e seus femininos);

7) no sufixo -ês que forma adjetivos de substantivos: montês (monte), cortês, burguês, montanhês, etc.
8) nos títulos designativos de mulheres: princesa, baronesa, poetisa, consulesa, duquesa, etc.
9) em geral, nos nomes relacionados com verbos cujos radicais terminam por D: presa (prender), empresa (empreender), defesa (defender), pretensão (pretender), ascensão, ascensorista (ascender), excesso (exceder), difuso (difundir), alusão (aludir), agressão (agredir), etc.
10) quando de radicais que contenham RG, RR, RT resulta a forma RS: imersão (imergir), discurso (discursar), inversão (inverter), etc.
11) na correlação TIR - SSÃO: permissão (permitir), discussão (discutir), etc.
12) em vocábulos como ânsia, ansioso, cansar, descansar, tesouro, análise, frase, surpresa, despesa, espontâneo, esplendor, represa, atrasado, etc.

EMPREGO DO X
1) O X apresenta os seguintes sons:
 - xarope, enxofre, vexame /ch/
- sexta, expectativa, extensão /s/
- látex, sexo, tóxico /ks/
- exame, exílio, êxodo /z/
- auxílio, máximo, próximo /ss/.
2) não tem valor fonético no dígrafo XC: exceção, exceder, excelente, excelso, excêntrico, excessivo, excitar, inexcedível.
3) em geral, depois de ditongo: caixa, baixo, faixa, feixe, frouxo, ameixa, baixela, rouxinol, seixo.
exceção: caucho (e derivados), recauchutar, recauchutagem.
4) geralmente, depois de sílaba inicial EN-: enxada, enxame, enxaguar, enxaqueca, enxárcia, enxergar, enxerido, enxerto, enxó, enxofre, enxoval, enxovalhar, enxurrada, enxuto, etc.
exceções: encher (e seus derivados), enchente, enchimento, preencher, enchova, e em palavras que começam por CH e recebem o prefixo EN: encharcar (charco), enchumaçar (chumaço).

EMPREGO DO Z
1) nos derivados terminados em -zal, -zeiro, -zinho, -zito: cafezal, cajazeiro, anãozinho, avezita, etc.
2) nos derivados das palavras de radical terminado em z: cruzeiro (cruz), enraizar (raiz).
3) nos verbos formados com o sufixo -izar: fertilizar, civilizar, canalizar, colonizar, amenizar, vulgarizar, profetizar, e os substantivos: civilização, fertilizante, etc.
4) nos substantivos abstratos derivados de adjetivo e denotando qualidade física ou moral: pobreza (pobre), leveza (leve), acidez (ácido), rapidez (rápido), estupidez (estúpido), pequenez (pequeno).
5) em palavras como: azar, azeite, azáfama, azedo, cozinha, mezinha (remédio caseiro), buzina, proeza.

EMPREGO DO C, Ç
1) nos vocábulos em que o C (Ç) se correlaciona com T: detenção (detento), atenção (atento), ação (ato), isenção (isento), canção (canto), etc.
2) nos sufixos -aço, -aça, -ança, -ância, -ação, -ência, -cido, -cídio: cansaço, ricaça, esvoaçar, esperança, ambulância, oração, impotência, inseticida, homicídio.
3) nos vocábulos de origem indígena, africana ou árabe: caiçara, açúcar, miçanga, muçulmano.

EMPREGO DO I
1) nas formas dos verbos em UIR: contribui, distribui, possui.
2) no plural de -al, -ol, -ul: animais, lençóis, pauis.

Nota:
(1) as palavras ou expressões estrangeiras, quando não aportuguesadas, mantêm a forma original: incontinenti, curriculum vitae, ex-officio, cameraman, intermezzo, dumping, deficit.
(2) nos topônimos estrangeiros, ou se adota a forma aportuguesada ou se mantém a grafia original: Nova Iorque ou Neu York (nunca Nova York).

Nenhum comentário:

ITANHAÉM, MEU PARAÍSO

ITANHAÉM, MEU PARAÍSO
Praia, sol, mar... plantas, flores e frutos... a natureza em todas as suas potencialidades. O belo, próximo.